Como trabalham os comunicadores na pandemia do Covid-19?

Palavras-chave: Covid-19. trabalho em home office

Resumo

Este artigo trata dos resultados da pesquisa: Como trabalham os comunicadores na pandemia da Covid-19? A investigação não probabilística, de carácter exploratório, aplicou questionário com questões abertas e fechadas, online, via plataforma do Google, no período de 5 a 30 de abril, e ficou disponível nas redes sociais do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho e de parceiros da pesquisa. O questionário obteve 557 respondentes comunicadores de todo o país, em diferentes atividades laborais. Os resultados, discutidos neste artigo, mostram que há aumento das jornadas de trabalho, há intensificação da atividade laboral, com uso de equipamentos próprios, cujos custos oneram o comunicador; intensificou-se o uso das plataformas e aplicativos no processo produtivo, para a organização, controle da gestão do trabalho, da rotina produtiva e, sobretudo, do fluxo de informação. As empresas, em geral, adotaram o home office e, quando a atividade não permite o distanciamento, criaram turnos mistos, presencial e a distância, nesses casos, a adoção de EPIs se apresenta como um complicador da relação trabalhador-empresa-público. No home office, os comunicadores precisam reorganizar o espaço doméstico e o acompanhamento dos filhos. Os profissionais se sentem mais cansados, inseguros com o futuro, temem o contágio, pela vida dos familiares, a situação de colapso do sistema de saúde, mas preocupam-se com o trabalho: perder o emprego, ter redução de salário, perder contratos etc. são preocupações que atormentam e tornam as jornadas mais estressantes. Mesmo com todos esses problemas, há um grande engajamento para a realização do trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roseli Figaro, Universidade de São Paulo Escola de Comunicações e Artes

Professora Associada na Escola de Comunicações e Artes. Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunciação da Universidade de São Paulo. Coordenadora do Centro de Pesquisa em Comunciação e Trabalho - CPCT-USP/CNPq.

Janaina Visibeli Barros, Universidade do Estado de Minas Gerais

Professora Doutora na Universidade do Estado de Minas Gerais, doutora em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Pesquisadora do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho - CPCT.

Naiana Rodrigues da Silva, Universidade Federal do Ceará

Professora no curso de Jornalismo na Universidade Federal do Ceará. Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunciação da Universidade de São Paulo. Pesquisadora do Centro de Pesquisa em Comunciação e Trabalho - CPCT-USP/CNPq.

Camila Acosta Camargo

Professora nos cursos de Comunicação da FIAM-FAAM e da Faculdade Cáper Líbero. Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação da Universidade de São Paulo. Pesquisadora do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho - CPCT.

Ana Flávia Marques da Silva, Escola de Comunicações e Artes da USP

Jornalista. Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação da Universidade de São Paulo. Pesquisadora do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho - CPCT-USP/CNPq

João Augusto Moliani, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Professor Doutor nos cursos de Comunciação da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Pesquisador do Centro de Pesquisa em Comunciação e Trabalho - CPCT-USP/CNPq

Jamir Osvaldo Kinoshita, Escola de Comunciações e Artes da Universidade de São Paulo

Jornalista e especialista em Gestão de Processos Comunicacionais. Doutorando do Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação da Universidade de São Paulo. Pesquisador do Centro de Pesquisa em Comunciação e Trabalho - CPCT-USP/CNPq.

Daniela Ferreira de Oliveira, Escola de Comunciações e Artes da Universidade de São Paulo

Professora e publicitária. Doutoranda no Pprograma de Pós-graduação em Ciências da Comunciação da Universidade de São Paulo. Pesquisadora do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho - CPCT-USP/CNPq.

Publicado
2020-07-03
Como Citar
Figaro, R., Visibeli Barros, J., Rodrigues da Silva, N., Acosta Camargo, C., Marques da Silva, A. F., Moliani, J. A., Kinoshita, J. O., & Ferreira de Oliveira, D. (2020). Como trabalham os comunicadores na pandemia do Covid-19?. Revista Jurídica Trabalho E Desenvolvimento Humano, 3. https://doi.org/10.33239/rjtdh.v.76
Edição
Seção
Dossiê “Covid-19 e o Mundo do Trabalho”