A contrarreforma trabalhista no Brasil e o precariado

contribuição ao debate

Palavras-chave: Contrarreforma trabalhista. Precariado. Precarização do trabalho. Brasil.

Resumo

Com o artigo que ora apresentamos ao público, realizamos uma revisão de literatura que priorizou o debate com importantes sociólogos do trabalho a fim de oferecer pistas para apontar alguns elementos que nos permitam entender o precariado, sobremaneira no contexto da contrarreforma trabalhista estabelecida no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Hiago Trindade, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Professor Assistente do Curso de Serviço Social da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Bacharel e Mestre em Serviço Social. Doutor em Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Teve experiência docente como Professor Substituto na Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) e na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Atuou ainda como Professor da Universidade Potiguar (UnP). Possui  artigos e livro publicado debatendo o processo de precarização do trabalho na realidade brasileira. Interessa-se, particularmente, por estudos e debates no campo da sociologia do trabalho.

Referências

ALVES, Giovanni. Dimensões da reestruturação produtiva: ensaios de sociologia do trabalho. São Paulo: Canal6/Práxis, 2007.

ALVES, Giovanni. O que é o precariado? Disponível em: <http://www.blogdaboitempo.com.br/category/colunas/giovanni-alves> . Acesso em: 10 jan. 2013.

ALVES, Giovanni. Trabalho e neodesenvolvimentismo: choque de capitalismo e nova degradação do trabalho no Brasil. Bauru: Canal 6, 2014.

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2009.

BARBOSA, Alexandre de Freitas. A formação do mercado de trabalho no Brasil. São Paulo: Alameda, 2008.

BASSETS, Marc. Reforma trabalhista é primeiro teste de Macron para mudar modelo social francês. Publicado pelo Jornal El Pais em 1 de setembro de 2017. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/08/31/internacional/1504172887_983395.html. Acesso em: 07 jan. 2019.

BEHRING, Elaine. Brasil em contra-reforma: desestruturação do Estado e perda de direitos. São Paulo: Cortez, 2003.

BRAGA, Ruy. A política do precariado: do populismo à hegemonia lulista. São Paulo: Boitempo, 2012. (Mundo do trabalho)

BRAGA, Ruy. A rebeldia do precariado: trabalho e neoliberalismo no Sul global. São Paulo: Boitempo, 2017.

BRAGA, Ruy. A pulsão plebeia: trabalho, precariedade e rebeliões sociais. São Paulo: Alameda, 2015.

DAL ROSSO, Sadi. O ardil da flexibilidade: os trabalhadores e a teoria do valor. São Paulo: Boitempo, 2017.

DRUCK, Graça. A metamorfose das classes sociais no capitalismo contemporâneo: algumas reflexões. In: Revista Em Pauta, n. 41, v. 16. Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistaempauta/article/view/36685/26317. Acesso em: 04 jan. 2019.

ENGELS, Friedrich. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2010.

FERNANDES, Florestan. O que é revolução? In: PRADO JÚNIOR, Caio. FERNANDES, Florestan. Clássicos sobre a revolução Brasileira. São Paulo: Expressão Popular, 2005.

FONTES, Virgínia. O Brasil e o capital-imperialismo: teoria e história. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2010.

GÓMEZ, Manuel V. A reforma da Espanha que inspirou Temer: mais empregos (precários) e com menores salários. (2017). Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/04/27/internacional/1493296487_352960.html. Acesso em: 05 mar. 2019.

GORELLI HERNÁNDEZ, Juan. Crítica a la flexiseguridad. Revista Latinoamericana de Derecho Social, [S.l.], jan. 2013. Disponível em: <https://revistas.juridicas.unam.mx/index.php/derecho-social/article/view/9704/11732>. Acesso em: 04 jun. 2020.

GRAMSCI, Antônio. Cadernos do Cárcere. São Paulo: Civilização Brasileira, 2017 (Volume 1).

IANNI, Octávio. A questão social. In: Revista USP. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/25490. Acesso em: 06 mar. 2019.

KREIN, Dari. OLIVEIRA, Roberto Véras de. FILGUEIRAS, Vitor Araújo. Reforma Trabalhista no Brasil: promessas e realidade. Campinas, SP: Curt Nimuendajú, 2019.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. São Paulo: Boitempo, 2011 (Livro 1).

MÉSZÁROS, István. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. São Paulo: Boitempo, 2011.

MOTA, Ana Elizabete. Cultura da crise e seguridade social. São Paulo: Cortez, 2015.

MOTA, Ana Elizabete; TAVARES, Maria Augusta. Trabalho e expropriações contemporâneas. In: MOTA, Ana Elizabete. AMARAL, Angela. Cenários, contradições e pelejas do Serviço Social brasileiro. São Paulo: Cortez, 2016.

OIT. Perspectivas sociales y del empleo en el mundo – Tendencias 2017. Disponível em: https://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/---dgreports/---dcomm/---publ/documents/publication/wcms_540901.pdf. Acesso em: 04 mar. 2019.

POCHMANN, Márcio. O mito da grande classe média: capitalismo e estrutura social. São Paulo: Boitempo Editorial, 2014.

RPP. ¿Qué propone la nueva Ley de Empleo Juvenil o Ley Pulpín 2.0? Publicada em RPP notícias em 23 de junho de 2017. Disponível em: https://rpp.pe/economia/economia/que-propone-la-nueva-ley-de-empleo-juvenil-o-ley-pulpin-20-noticia-1059634. Acesso em: 07 jan. 2019.

SOEIRO, José. A formação do precariado: transformações no trabalho e mobilizações de precários em Portugal. Coimbra, 2015. Tese de doutoramento. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10316/28406>. Acesso em: 04 mar. 2019.

STANDING, Guy. O precariado: a nova classe perigosa. São Paulo: Autentica, 2013.

TRINDADE, Hiago. Crise do capital, exército industrial de reserva e precariado no Brasil contemporâneo. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sssoc/n129/0101-6628-sssoc-129-0225.pdf. Acesso em: 16 jan. 2019.

TRINDADE, Hiago. O precariado no Brasil Contemporâneo. Tese (Doutorado em Serviço Social). Programa de Pós-Graduação em Serviço Social. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2019, 249p.

Publicado
2020-06-09
Como Citar
Trindade, H. (2020). A contrarreforma trabalhista no Brasil e o precariado: contribuição ao debate. Revista Jurídica Trabalho E Desenvolvimento Humano, 3. https://doi.org/10.33239/rjtdh.v3.63
Edição
Seção
Artigos em Fluxo Contínuo